Leiam, reflitam, sonhem, viajem e comentem... Os comentários são importantes para sabermos suas opiniões.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

FLOR RESISTENTE


Descobri num canto do mato
Uma flor muito resistente
Castigada por intempéries
Mas forte e sobrevivente

O sol é quente e resseca
O vento desloca em balanço
Mas sempre chega a noite
Que se recupera em descanso

E conversando com os vaga-lumes
Faz-se importante nos campos
Todas as mariposas a sobrevoam
Seguidas pelos pirilampos

E aos primeiros raios de sol
Ela está lá, forte para viver
Reagindo ao ciclo destruidor
Que os dias trazem pra valer

E novamente chega a calma noite
Que traz o luar brilho de prata
E de volta os insetos pra conversar
Em zumbidos ritmados como sonata

E assim vai resistindo a flor
No canto do mato em que ela é
A única que reage com o luar
Fincada na margem do Muriaé...

                                                   Alexandre Taissum


.